O Guia Definitivo do Marketing Digital [com exemplos e dicas práticas para aplicar hoje mesmo]

1
1567
adesivos colados na parede onde de se marketing

O marketing digital é uma estratégia de comunicação específica para os canais digitais. Contudo, ao invés de ser apenas um complemento à comunicação das empresas, ele tem se tornado um verdadeiro motor de crescimento das empresas, empresários e mesmo de profissionais, autônomos ou não.

O fato é que o marketing digital é um ingrediente obrigatório no sucesso de qualquer empreendimento hoje em dia. Seja ele de uma grande ou pequena empresa, seja ele visando lucro ou não.

Se você e sua organização precisam comunicar uma mensagem para o mundo, nada melhor do que os canais digitais. Eles são mais eficientes em termos de alcance, custo e escalabilidade. Falo mais disso logo abaixo! 

Então, se você quer dar um up na sua presença online, gerar mais leads e garantir que seu negócio sobrevive à transformação digital, leia esse post até o final!

O que é Marketing Digital e qual a diferença do Marketing Tradicional?

O Marketing Digital é a estratégia de comunicação de uma entidade em diversos canais nos meios digitais. O objetivo dessa estratégia está ligado aos objetivos comerciais dessa entidade, que podem ser ampliar a sua percepção de marca, aumentar vendas ou mesmo educar o mercado sobre seus produtos e serviços.

Se comparado com as estratégias de marketing offline ou tradicionais, não existe uma diferença fundamental. Ou seja, os conceitos principais da Comunicação Social não são alterados. O que muda é o médium, ou seja, o meio em que a mensagem é passada.

Os meios de marketing offline são os impressos, comerciais de televisão, outdoors, publicidade em pontos de ônibus, caminhonetes com alto falantes e tudo o mais que podemos imaginar. 

Os meios de marketing digital estão estritamente na internet. Você conhece os bens: redes sociais, e-mail e websites. Mas também podem ser blogs, aplicativos de celular, notificações push-up e mecanismos de busca (como os anúncios que aparecem no Google).

Dito isso, é importante notar como, por mais que os princípios e objetivos do marketing não tenham mudado de um para o outro, o modo pelo qual o contato é feito mudou radicalmente.

As Vantagens do Marketing Digital

Na seção acima, você entendeu que o marketing digital muda radicalmente o modo como a comunicação entre marca e o mercado é feito. Nessa seção, eu vou explorar melhor quais são as grandes vantagens por trás dessa mudança.

Assim, você vai entender como o marketing digital é uma estratégia muito poderosa para criar um canal de conversa com seu público-alvo.

Sem mais delongas, vamos a elas!

detalhe de tela de computador com analise de marketing digital

1. Mensuração em tempo real

Uma das mais interessantes possibilidades do meio digital é a coleta de dados individuais. É claro que essa prática já não pode ser feita do mesmo jeito do que algum tempo atrás. Mesmo assim, em todos os canais de marketing digital existem modos de avaliar o desempenho em tempo real.

Pense, por exemplo, em uma estratégia de marketing offline. Um anúncio do seu novo produto será televisionado em horário nobre todos os dias de semana no mês de dezembro. O objetivo, você já adivinhou: aumentar as vendas na época de festas de fim de ano.

Uma empresa dessa, certamente de grande porte para poder bancar esse comercial, pode esperar um ótimo retorno dessa campanha. Contudo, o sucesso da campanha apenas será conhecido no ano seguinte. 

Nesse caso, quando a empresa tiver os números exatos, a época de festas terá passado. Ou seja, ela só tem uma chance de acertar na mensagem e no conteúdo da propaganda. E só saberá se ela poderia ter sido melhor quando a chance passar.

Com o marketing digital, a cena é completamente oposta. Quando uma empresa mobiliza uma campanha nos canais mais diversos, existem ferramentas que coletam dados em tempo real e criam relatórios enquanto a campanha tem lugar.

Eu vou falar mais profundamente dessas ferramentas mais para o final do post. O importante de entender agora é que, usando o poder de rastreamento da tecnologia, suas campanhas de e-mail ou rede social podem ser mensuradas em tempo real.

Número de likes, compartilhamentos, inscrições e desinscrições do seu canal do YouTube, a taxa de abertura ou de resposta do e-mail: basta escolher. É possível medir o sucesso de todas as suas campanhas de modo simples e rápido.

mao segurando lampada

2. Segmentação inteligente

Por que não continuamos com o mesmo exemplo da seção acima? Lembra como a empresa, para alcançar seu público, escolheu veicular um vídeo publicitário em horário nobre? Ela fez isso, é claro, para aumentar o impacto do seu conteúdo.

Agora, vamos dar um rosto a essa empresa: digamos que ela é uma marca de perfume. Não são todos os públicos que são suscetíveis de comprar esse produto. Existe um público muito específico que pode ser afetado por essa propaganda e, de fato, tomar uma decisão de compra.

O caso seria outro se o comercial vende se um novo modelo de brinquedo. O público-alvo é outro: são mulheres e homens com crianças pequenas. E a idade dessas crianças também é variável. Afinal, existem brinquedos destinados a crianças de 3 a 6 anos, ou de 10 a 13, entre outras faixas.

O que você pode notar nesse exemplo é que o marketing offline não é seletivo. Ou melhor, ele não é tão seletivo quanto o marketing digital. Por mais que o time de marketing e propaganda da marca escolha estrategicamente a emissora, o horário e todos os outros componentes da mensagem, não existe uma seleção 

Com o marketing digital, a seletividade das suas campanhas aumenta consideravelmente. A isso chamamos de segmentação do público-alvo.

Segmentação, em marketing, é a ação de dirigir mensagens mais personalizadas para recipientes específicos. Exemplos são anúncios que você visualiza com base no seu histórico da internet, ou e-mails que são enviados dependendo do seu costume de interagir ou não com as comunicações daquela marca.

Esse tipo de estratégia tem um objetivo muito simples: aumentar o impacto da campanha mirando no público certo. Ou seja, o marketing digital não é mais eficiente porque você pode alcançar mais pessoas, mas sim porque você pode alcançar as pessoas certas.

Do mesmo modo como existem ferramentas para mensurar a performance da sua campanha em tempo real, existem aquelas feitas para segmentar seu público. As mais usadas são os anúncios em mecanismos de buscas e nas redes sociais, que podem até mesmo segmentar o público por CEP.

Desse modo, se a sua empresa é uma universidade particular que quer aumentar a taxa de matrícula no ano que vem, basta você veicular um anúncio para um público na faixa de 18 a 20 anos na sua cidade. Simples e direto.

O segredo da segmentação, então, é entregar a mensagem certa para o público certo.

3. Custos de iteração quase nulos

Você leu certo: eu escrevi iteração (e não interação). Iteração é parte do vocabulário de tecnologia e da engenharia de softwares. Ele significa fazer pequenas alterações em um produto para testar o seu desempenho nessa nova versão.

Em marketing digital (que tem muita relação com a tecnologia da informação), iteração significa a mesma coisa. Assim, você pode iterar um anúncio, um e-mail, uma postagem em rede social e tudo o mais o que sua marca decidir veicular nas mídias digitais.

Bom, mas nos meios offline, a iteração também é possível!

Sim! Mas há uma diferença prática muito importante!

A iteração no marketing digital responde aos dados de desempenho coletados em tempo real. Assim, o tempo de aprendizagem é mais curto. Por fim, o tempo que leva para aplicar o que você aprendeu também é menos curto.

E a grande vantagem disso é que a iteração quase não custa nada. Para produzir um novo comercial se o primeiro não funcionar, o custo é o mesmo do primeiro. O custo de iterar um conteúdo (post, e-mail, arte visual) é quase zero. 

pessoas expostas ao marketing digital usando celulares no metro

4. Escalabilidade

Escalar uma campanha de marketing significa aumentar o seu alcance. Assim, se uma empresa tem outdoors no Rio de Janeiro e quer colocá-los também em Niterói, dizemos que ele vai escalar a campanha para a outra cidade.

A escalabilidade das suas campanhas são elementos vitais para o crescimento do seu negócio. Afinal, é isso que vai capacitar a sua empresa a aumentar as vendas e a renda final.

O marketing digital permite escalar campanhas com muito mais facilidade. Ora, para ser visualizado em várias cidades (no Brasil ou em outros países) não é necessário investir em mais outdoors. Também não é preciso contatar outras emissoras.

5. Veiculação de conteúdo gratuita (ou com preço muito baixo)

Para ter um comercial na televisão, você precisa pagar a emissora. Para adquirir um outdoor, você precisa alugá-lo. Para panfletar uma promoção, você deve pagar a gráfica e um panfleteiro. Ou seja, a distribuição no marketing offline tem um custo.

Mas quanto custa criar um perfil da sua marca na rede social? Quanto custa criar uma conta de e-mail? Nada, porque são canais gratuitos. Inclusive, com um perfil ou uma caixa de e-mails, você tem o direito de veicular o conteúdo que quiser sem precisar pagar nada por isso.

O conteúdo veiculado gratuitamente nos meios digitais recebe um certo tráfego. Esse tráfego, como não foi “comprado”, recebe o nome de tráfego orgânico. Vou falar mais dele quando explicar o que é SEO mais abaixo!

É claro que as mídias sociais são gratuitas até certo ponto. Para ter um desempenho melhor na sua conta de rede social, você pode impulsionar suas postagens pagando por anúncios. Do mesmo modo, se quiser ter uma caixa de e-mail profissional, precisa comprar um domínio e pagar um serviço de e-mails.

Mas, se você estiver começando um negócio ou se sua empresa não tiver um grande orçamento para marketing, essas opções já ajudam demais, certo?

Do mesmo modo, os custos de anunciar no Facebook, Instagram ou no Google não são altos. E existem domínios muito baratos, com taxas de renovações anuais que não passam nem de 100 reais.

Então, usando esses canais no começo do seu empreendimento, o seu custo com marketing digital ou será zero ou será muito baixo.

6. Feedback e Interatividade em tempo real

E, por fim, a vantagem do marketing digital responsável por criar uma verdadeira revolução da interação entre marca e mercado. A interação (e, dessa vez, eu quero dizer interação mesmo!) é a grande característica do marketing digital. E é o divisor de águas do marketing no século XXI.

Lembre-se do exemplo que usei acima: o comercial de TV. Não à toa, eu usei o exemplo mais clichê do marketing tradicional para ilustrar a principal vantagem do marketing digital. Ora, quando seu público-alvo assiste um comercial de TV, esses indivíduos são meros espectadores. A comunicação da sua marca é unidirecional.

Quando sua empresa cria uma campanha de e-mail, uma postagem em redes sociais, um artigo em um blog, o cenário é diferente. Nesse caso, o público pode interagir e responder imediatamente ao conteúdo. Ou seja, ele pode curtir, compartilhar, responder, criticar, elogiar e mil coisas mais.

Em suma, o conteúdo digital é uma conversa com seu público. Em outras palavras, é uma comunicação multidirecional, que flui da marca para o mercado e do mercado para a marca. Por isso, é uma conversa.

Isso possibilita que a sua marca desça do pedestal de uma organização, seja ela grande ou pequena. Assim, ela pode parecer mais humana, mais próxima do público, e criar muito mais empatia e engajamento.

Afinal, o comportamento dos mercados consumidores mudou. Pessoas querem interagir com marcas por mensagens instantâneas, como o WhatsApp. Elas também preferem marcas que divulgam novidades e conteúdos interessantes no Instagram. Além disso, elas preferem aprender sobre o seu serviço no YouTube.

Ou seja, o público espera interagir antes de desembolsar qualquer quantia de dinheiro.

Essa interação, ainda, é uma fonte de aprendizado riquíssima para sua estratégia. Conforme sua marca publicar conteúdos e veicular campanhas, ela aprenderá cada vez mais sobre a sua audiência.

A interação que suas contas terão com a audiência informaram como esse público fala e qual escolha de palavras ele prefere. Mas esse aprendizado não é apenas lexicológico, também é axiológico.

Ou seja, a interação com a audiência ensina à marca com quais valores que seu público se identifica e com que tipo de mensagem ele tende a responder melhor.

Por fim, a marca pode aprender muito mais facilmente sobre a sua audiência específica. E ela não precisa se ater apenas aos tradicionais e rebuscados dados demográficos, que informavam todas as estratégias de marketing de anos atrás.

Por fim, esse aprendizado leva a uma vantagem do marketing digital, também inédita antes da internet. É o meu próximo tópico.

Jovens sentadas diante de um canal de marketing de comunidade

7. Construção de Comunidade

Um efeito natural da interação que sua marca terá com o mercado é a construção de uma comunidade. Ela pode ser materializada nos seus seguidores em redes sociais ou em uma lista de e-mail.

Mas o essencial é o mesmo. Esses são os indivíduos que, ao longo do tempo, se engajaram com sua marca. E que têm muito mais chance de interagir com novas comunicações e campanhas no futuro.

A construção de uma comunidade é algo que leva tempo. Além disso, requer um esforço muito focado. Existem profissionais de marketing que já se especializaram em construção de comunidade. Além disso, o termo marketing de comunidade já foi cunhado e é a ocupação oficial de muitos profissionais atualmente.

O essencial para construir uma comunidade é focar a sua estratégia de marketing na reciprocidade. Crie eventos virtuais, distribua vales de desconto, faça sorteios no Instagram e distribua conteúdos de valor gratuitamente (como os webinários).

Em tempos de covid, esse estreitamento de laço apenas pode ser feito nos meios virtuais. Mas no pós-pandemia, eventos físicos poderão voltar a ser usados como meios de engajar o público. Nesse caso, teremos um exemplo de como uma estratégia offline pode complementar a online.

Bom, essas foram as 7 vantagens do marketing digital. Note que todas elas ou são inéditas, ou são facilitadas pelo estado atual da internet.

Mas até aqui eu foquei apenas na teoria e em te convencer que sua marca, empresa ou projeto precisa de marketing digital.

Se você já se convenceu, então leia toda a outra metade desse artigo. Abaixo, vou mostrar mais profundamente o lado prático do marketing digital!

rapaz sobre quadro branco escrevendo uma estrategia de marketing digital

Como montar uma estratégia de Marketing Digital

O lado prático do marketing digital é a construção da sua estratégia. Existem diversos fatores que sua empresa precisa levar em conta. Para isso, eu vou apresentar todo o passo abaixo.

Como eu sei que empresas médias e grandes possuem profissionais ou times inteiros especializados nessa parte, eu vou imaginar o caso de uma pequena empresa. Pequenas empresas costumam, quando muito, ter um único profissional responsável pela comunicação e marketing.

Muitas vezes, contudo, o marketing é responsabilidade do próprio empreendedor ou empreendedora. Se esse for o seu caso, você está lendo o texto certo! Todas as dicas que eu vou passar abaixo são replicáveis por pequenos empreendedores e podem ser feitas por um custo muito baixo ou custo nenhum!

Portanto, aproveite e leia o guia completo abaixo!

Antes da estratégia: o Branding

A primeira coisa para construir a sua estratégia de marketing digital é definir os pontos centrais. Você já conhece o seu negócio e o seu serviço. Então, provavelmente, já tem um esboço do seu Brand.

Brand é um termo inglês que significa marca, nada mais. A popularização do termo em inglês se deu pela popularização de um outro termo: branding.

Aqui, vale uma analogia interessante. Se marketing são as ações que definem a marca no mercado (market), o branding são as ações que definem a marca por si. Ou seja, é o que a marca promove como sua identidade e sua diferença no mercado.

Portanto, o seu branding é essencial para todas as estratégias de marketing digital.

De um modo simples, para definir o seu branding, você responde três perguntas. Essas perguntas representarão o coração das estratégias de comunicação da sua marca.

Claro que, para complementar o branding, você precisa de uma identidade visual criada por um profissional de comunicação e design. Essa identidade visual vai criar consistência da sua marca através dos seus diferentes canais e é indispensável para bons resultados de longo-prazo.

Esse aspecto é tão importante que, em empresas maiores, existem profissionais de marketing, hoje em dia, especializados precisamente nessa parte. São os Brand Managers, ou gerentes de marca.

São essas profissionais que se responsabilizam por garantir a consistência da sua comunicação nos diversos pontos de contato com a sua audiência.

tablet sobre mesa em que se le estrategia de marketing objetivos personas e canais

Os pilares da estratégia de Marketing Digital

Para simplificar, os pilares da estratégia são apenas 3:

  • Personas
  • Objetivos
  • Canais

Persona

Persona é diferente de público-alvo. O público-alvo é um conjunto de dados e informações que você possui de pessoas reais, sejam elas seus clientes ou clientes potenciais.

As pessoas são personagens semi-fictícias que representam seus clientes ideais. Se você já produz conteúdo, é muito fácil entender. Toda vez que você escreve uma peça ou monta uma arte visual, tem o espectador em mente.

É uma tendência natural dos profissionais criativos imaginar essa espectadora ideal com traços mais reais. Por exemplo, que roupa ela está usando? Que tipo de música ela ouve?

Esse tipo de coisa vem à mente quanto estamos produzindo, ainda que muito nebuloso. Traçar uma persona é só se esforçar para dar traços mais definidos a esse fantasma.

Além daquelas perguntas, aspectos mais profundos são vitais para formar uma persona capaz de orientar suas decisões de negócios e comunicação. Por exemplo: quais são seus valores? Com o quê ela se identifica? Qual é o seu problema principal? O que a faz perder o sono a noite?

Esse tipo de questionamento pode fazer você dar uma imagem mais definida dessa persona. Com isso, você pode criar conteúdos mais engajantes para as redes, porque terão sido criados para “pessoas reais” (ou quase).

Ou seja, terão sido criados para serem conversacionais, focando em características individuais ao invés de dados coletivos e, por isso, mais difíceis de criar interação.

Esse tipo de questionamento também tem o objetivo de te fazer entender como você pode resolver os problemas dessa persona. Isso é, o que você pode oferecer em suas estratégias de marketing digital que fará essa persona interagir e até se engajar com sua marca?

Dito isso, a persona não é fruto da sua imaginação. Ela deve ser gerada usando dados reais e é inclusive muito saudável que você use clientes reais como persona. Mas faça isso apenas se esse cliente representar bem o conjunto como um todo.

A melhor prática é criar mais de uma persona. Assim, você tem mais recursos quando for segmentar sua estratégia.

Objetivos da Marca

Quando você pensar nos objetivos do seu negócio, pense em “objetivos da marca” além dos objetivos comerciais. É claro que o marketing digital possui fins comerciais por trás. Contudo, os canais digitais oferecem formas mais sutis de se conseguí-los.

Em outras palavras, os objetivos da sua marca na rede podem variar muito além do simples aumento de vendas e de conversão. Abaixo, vou listar todos os objetivos possíveis. Escolha os que fizerem mais sentido para a sua marca no seu atual momento.

  • Aumentar vendas e conversão

Esse é o objetivo mais óbvio de toda estratégia de marketing. Usar canais digitais para aumentar vendas é extremamente eficiente pelo alcance maior e segmentação mais eficiente. Especialmente quando o seu produto pode ser comprado com um clique (se você tem um e-commerce, por exemplo).

  • Aumentar o tempo de percepção de marca (Lifetime Value)

O Lifetime Value é um termo que significa o tempo em que a sua marca é percebida pelo mercado. Isso é, literalmente, o tempo que a sua marca passa na “mente” da sua persona. Comunicações na rede permitem que você lembre o público que sua marca está aí e está pronto para fazer negócio.

  • Educar o mercado

Talvez você estranhe esse objetivo. Contudo, para algumas empresas pode ser muito útil tirar aquelas dúvidas que todos os clientes têm na hora de fazer um pedido. Veiculando conteúdo informativo nas redes, você estará criando um público mais informado. Ou seja, significa economizar tempo de atendimento.

  • Aumentar a autoridade da marca no nicho

O mercado está mais competitivo do que nunca. E a tendência é ficar ainda mais. Com uma estratégia bem feita de marketing digital, o público da sua área tenderá a associar a sua marca com o seu serviço. Ou seja, você estará facilitando que as pessoas associem a sua empresa com esse serviço, e não o seu concorrente. 

De fato, a maioria desses objetivos é indireto. E você poderia argumentar que o único objetivo final é aumentar as vendas. Eu vou discutir, porque é verdade. Eu só separei esses objetivos porque é importante tê-los em mente para que a sua comunicação seja mais refinada, engajante e, no fim, eficiente.

Lembre-se que, com o tempo, os objetivos podem mudar. Tudo depende de onde você quer chegar com o marketing digital. Consistência e persistência são qualidades muito boas, mas adaptação e mudança também são muito saudáveis para o sucesso de um negócio.

O terceiro pilar seria a escolha dos canais. Como esse assunto é mais complexo, vou tratar em um tópico à parte.

Está logo abaixo, não deixe de ler!

Os Canais de Marketing Digital

Os canais de Marketing Digitais são todos online. Você com certeza já conhece todos esses e já interage com diversas marcas nesses pontos de contato. Então, utilize essa experiência para pensar na sua estratégia de marketing.

Em outras palavras, pergunte-se:

  • Em qual desses canais, a sua persona estaria mais suscetível a prestar a atenção nas suas mensagens?
  • Quando a sua persona está buscando a solução que o seu produto entrega, para qual desses meios ela se dirige?
  • O seu produto combina com o humor, personalidade ou estado de espírito mais comum em quais desses canais?

Essas três perguntas não são obrigatórias, são apenas uma diretriz para você colocar em prática a sua estratégia. Não pense que apenas pelo seu negócio ser pequeno (se for o caso), ele não pode emular comportamentos de times de marketing de grandes empresas!

Agora que você já tem essas perguntas em mente, vamos escolher os seus canais!

Mensageiros Instantâneos

Os exemplos são vários, mas os mais usados são o WhatsApp, o Messenger do Facebook e o Telegram.

Cada um deles tem um propósito diferente. O WhatsApp é um dos apps mais baixados no Brasil e no mundo. É o mais usado para contatos pessoais e cada vez mais as pessoas preferem se comunicar com empresas por ele.

Ter um WhatsApp Business, hoje em dia, é uma tarefa indispensável para qualquer negócio. Esse canal é importante para se comunicar diretamente com os consumidores de modo mais humanizado. Ter atendentes que se identifiquem com o nome é muito bom para criar empatia.

O Facebook Messenger não difere muito em forma, mas pouquíssimas marcas no Brasil o utilizam. Inclusive, a sua página comercial no Facebook pode ser integrada com o WhatsApp Business. Então, o Messenger acaba não sendo usado para fins profissionais.

O Telegram é um caso muito particular. Com o tempo, esse mensageiro se tornou um meio de empresas criarem grupos privados. Funciona muito bem como um canal para veicular informações privilegiadas para sua comunidade (já que os grupos não são públicos), para lançamentos e outras promoções VIP.

Redes Sociais

As redes sociais são, possivelmente, o canal mais usado pelas pequenas empresas do Brasil. Não que as grandes e médias não o usem. Mas as pequenas e micro se voltam às redes sociais principalmente pela sua gratuidade e facilidade de alcançar a audiência.

As redes sociais tem as suas particularidades. Confira abaixo:

Instagram

De conteúdo visual, funciona muito bem para fotógrafos, designers, restaurantes e quem pode promover seus produtos de forma visual. O recurso dos stories é muito popular para fazer promoções e produzir mais engajamento através das enquetes.

Facebook

Tem perdido espaço para o Instagram, mas ainda é muito relevante para os negócios. Muitos negócios pequenos conseguem angariar clientes seja promovendo postagens ou participando de grupos.

LinkedIn

É uma rede estritamente profissional. O objetivo da sua marca aqui deve ser estabelecer a sua autoridade no nicho. Isso pode ser bom para atrair talentos, por exemplo.

O lado negativo das redes sociais é que o canal não é seu. É muito mais competitivo e o algoritmo de cada uma delas decide quem recebe quais conteúdos. Assim, publicar uma nova postagem não significa que ela terá todo o seu alcance potencial.

tela de computador onde se ve graficos de metricas de websites

Website: SEM e SEO

Possuir um website empresarial é incrível e mostra muito profissionalismo. É ótimo porque permite a criação de um e-commerce de um blog. Assim, sua marca pode publicar e editorar seus próprios conteúdos em um espaço que ela tem o total controle.

Mas um website sem visitas não vale o esforço. Para que seu website tenha visibilidade, você precisa de uma estratégia de SEO e SEM.

SEM significa Search Engine Marketing. Ou seja, é a sua estratégia para ganhar visibilidade em mecanismos de busca. Como nas redes sociais, ela pode ser feita de dois modos.

O primeiro é por anúncios pagos, como o Google Ads. Você decide quais palavras-chaves quer que seu conteúdo se posicione e oferece um preço.

O algoritmo do mecanismo, por um sistema de leilão, determina quais anúncios aparecerão toda vez que um usuário digita essa palavra-chave no formulário de busca.

Você pode achar essa estratégia cara demais. Afinal, um dos pontos fracos desses anúncios é que, uma vez que você pare de pagar, o tráfego também para de chegar.

SEO

Existe uma estratégia muito mais inteligente, mas também muito mais difícil: o SEO. Isso significa Search Engine Optimization e significa otimização para mecanismos de busca.

Essa estratégia de geração de tráfego visa o longo-prazo, mas é muito mais sólida. O seu objetivo é fazer o mecanismo reconhecer a relevância e a autoridade do seu domínio sobre determinado assunto ou determinadas buscas (palavras-chaves).

Se você consegue isso (o que leva tempo), o seu site aparece organicamente na primeira página do Google para as buscas. Se o seu site está na primeira página do Google, então, ele terá muito tráfego gratuito.

Esse tráfego gratuito é chamado de tráfego orgânico, é o tráfego de pessoas que encontraram o seu site naturalmente através do mecanismo. Ou seja, você não forçou que eles chegassem até você. Esses usuários foram ao seu site porque quiseram, ou porque acreditam que você tem a solução para a busca deles.

De todo modo, é um tráfego muito mais sólido do que o pago, e que pode gerar muitos clientes para o seu negócio.

Algumas coisas podem ajudar o seu site a melhorar seu SEO. Por exemplo, criar um blog relevante para sua persona, usar as palavras nas quais você quer se posicionar e ter muitos links internos entre as páginas do seu site.

Email Marketing

Email marketing não é a versão digital do telemarketing das empresas telefônicas. Quer dizer, não é você importunar pessoas que nunca pediram para você enviar um e-mail. Para que esse canal funcione, você precisa construir uma lista de e-mails dos seus clientes ou de prospects que deliberadamente te deram seu endereço.

Assim, você pode criar relacionamento com seus contatos e lembrá-los de promoções importantes. O melhor do email marketing é que você controla a hora e o dia que o seu contato recebe a mensagem. Use isso sabiamente!

 

Essas foram os 4 canais mais usados para marketing digital. Se você acompanhou todas as dicas até aqui, já tem tudo decidido para começar a sua estratégia de marketing nas redes.

Então, não espere mais, crie um perfil nas redes sociais, procure um domínio e comece a veicular sua mensagem!

Se restou alguma dúvida, deixe seus comentários abaixo!

Se você acha que faltou alguma dica, algum canal ou quer compartilhar suas experiências com o marketing digital com a comunidade, fique à vontade! O espaço é seu!

Até o próximo post!

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.